26 de junho de 2012

A vida, os laços e os planos.

A vida é então a caixinha de surpresa que sempre ouvimos dizer? É. 

Gosto quando apareço por aqui inspirada com assuntos que a própria vida desencadeia. Pra falar a verdade, sinto que as fases desse universo que chamamos de vida influencia um tanto nessas minhas oscilações e sumiços repentinos no universo virtual. Mas vamos a mais um dilema!

A vida tem esse 'Q' de mudar do dia pra noite, há quem ache o assunto um tanto banal, mas eu seria hipócrita se dissesse que algumas mudanças nunca me fizeram entristecer e mesmo desacreditar, mas nada como algumas doses de frases inspiradoras e música pra melhorar o que não parece ter solução. Estou há 1 mês de completar 24 anos, os meses  pereceram até chegar nesse estado pleno e pré-inferno astral no qual me encontro agora. Nao serei detalhista - embora eu ame os detalhes - em citar os acontecimentos, mas serei sincera que desistir passou pela minha cabeça pelo menos algumas centenas de vezes, e isso não é exemplo que se cite, mas pra que eu consiga ao menos desenvolver meus pensamentos, preciso começar pelo mais difícil, que foi buscar forças aonde não existia nem ao menos esperanças.



Aquelas frases motivacionais são como cereais com leite numa manhã sem graça, mas confesso que são ótimas para reconstituir as forças pra mais um dia. Acreditar que nada vem por acaso nessa vida foi o primeiro passo, e já dizia algum velho sábio por aí.. "Há males que vem para o bem", e sim, eles vieram igual um tsunami, mas aproveitei a onda gigante no qual tomei varios caldos e cachotes, pra dar uma bela surfada e admirar um universo que precisa de uma tal de 'Determinação' para se vencer e viver um dia de cada vez, sem atropelar e misturar realidade com sonho. Nessa brincadeira fantasiosa de tsunamis e ondas gigantes, percebi que a vida é isso tambem, ora felicidade plena, ora difícil quase sem saída. Nessa tal caminhada pelejante de não acreditar, eis que a luz no fim do tunel abriu caminhos, a fé. - Nunca fui uma pessoa religiosa e praticante, sempre busquei a Deus com as minhas orações, e com isso cresci acreditando que a fé é a luz que há dentro de nós - Na escuridão do meu desespero por nada parecer dar certo, resolvi me entender com Deus ainda da minha forma peculiar, resolvi me acertar com a vida durante os dias difíceis e fui organizando meus objetivos, mudando aqui e ali, me livrando das mentiras mesmo que pequenas e aparentemente desimportantes, me livrei de objetos, doei alguns e vendi outros, comecei pelo desapego material e comecei a olhar o mundo com outros olhos. Ajudar alguem me deu tanto prazer quanto saborear um temaki no auge da minha fome. As horas em que ouvir qualquer coisa desagradável parecia ser o fim do mundo, hoje se transformaram em forças, e a vida deu um empurrãozinho pra recompensar que as mudanças que desejei no mundo, apareceram lá no âmago do meu ser.


Acho que cada pessoa tem o seu momento, um dia a ficha de cada fase cai, e então mudamos mais um pouquinho nosso jeito de ser e viver, e é disso que o mundo hoje precisa, enxergar as mudanças! A começar pelo amor que foi banalizado, precisamos de um novo substantivo que se encaixe no que só se transmite de alma para alma, o tal laço que se forma quando se encontra alguem que nos complete, que nos faça ser melhor em todos os aspectos, e então mais uma força, alem da fé, nos faz viver os dias difíceis. 

As pessoas ao redor costumam amar e desamar como se isso fosse uma brincadeira sem importancia, e o que muitos podem hoje julgar, é que o laço que se forma vai alem de um simples relacionamento - seja de namorados ou amigos -, é mais uma força que nasce dentro de nós e que nos motiva a novos desafios, passamos a acreditar que podemos nos fortalecer com a esperança de que há ainda pessoas que tambem vivem o desafio de cada dia e que estão com a gente na caminhada difícil. Para facilitar o entendimento: ter um bom relacionamento com as pessoas é essencial para ter paz e uma ponta de esperança  durante a jornada da vida, inclusive quando passamos por momentos difíceis.


Quando as coisas começaram a clarear -  com ironia costumamos satirizar dizendo: "tava na hora já" - me dei conta de que não posso largar tudo o que vim construindo só porque as coisas começaram a ficar melhores para mim, mas sim, que devo manter com astúcia todo o meu esforço como nos dias em que deixei de dormir pra chorar, sem saber por onde começar, quando ainda triste comecei a prospectar novos objetivos, sonhos, planos... e então percebi que eu estava caminhando para um novo ciclo com a fé e a esperança reciclada.

Tirei desses últimos meses a lição de que a graça da vida é viver isso mesmo; pelejar para se dar mais valor, correr atrás de um objetivo contando com as desventuras que acontecem no percurso, aceitar os 'Nãos' pelo caminho e usa los a meu favor, que vivemos em constante mutação, que mesmo que a vida pareça nao contribuir com melhoras, ela dá tudo o que precisamos para recomeçar, e mesmo que nesse mundo real não se acredite em contos de fadas, é possível juntar todas as pedras no caminho para construir a escada que nos levará até os nossos sonhos.

...  então a vida se encarrega de nos bonificar gradualmente; e esse mérito é inteiramente nosso. Presume se então que somos responsáveis por transformar lágrimas em forças, sofrimento em determinação e portas fechadas em esperança. 

A vida, os laços e os planos é composto disso que chamamos de 'nós': doar um pouco de si em boas ações, fé e esperança, é mudar tudo para sempre.
Pratique!

Luciana.

Nenhum comentário: